Um espaço comum, nunca um lugar comum...

27
Nov 10

Quando não estou de acordo com alguma coisa que alguém faz, não lhes consigo dar palmadinhas nas costas. Quando não estou de acordo com o que alguém diz, ou faz, eu contraponho com a minha opinião. Não o faço por achar que a minha opinião é a mais correcta, é apenas porque não sou de “comer e calar” quando não vejo nada de racional ou razoável naquilo que a outra pessoa está a fazer. Por isso acho que o grande mal desta sociedade, ou um dos seus grandes males, está no “medo” que as pessoas têm de dizer o que realmente pensam. Temos pessoas sem valores morais porque quem os educa acha que tem de os apoiar apenas por serem seus filhos; pensam: “O que ele está a fazer é errado, mas é meu filho. Tenho de o apoiar!” E acham que assim lhes mostram que são uns pais maravilhosos, que em vez de os conduzirem pelo caminho certo se conformam em vê-los seguir pelo caminho errado, assim podem brilhar mais tarde quando o tal filho chegar a um beco sem saída, e tiver de voltar para trás. Eu quero que a minha filha seja uma pessoa melhor. Não quero que ela maltrate os animais (e por isso a levo a fazer voluntariado), não quero que ela desrespeite os outros, quero que ela perceba que ser diferente é bom. Mas, principalmente, quero que ela respeite os sentimentos dos outros e que nunca faça ninguém sofrer. Mas se algum dia isso acontecer, vou fazer questão de lhe mostrar o quanto ela está errada. E acreditem que, nesse dia, vou ser a melhor amiga que ela alguma vez vai ter.

publicado por dory às 12:00

25
Nov 10

07/10/2010

 

 

O regresso às aulas é sempre um momento emocionante! As primeiras aulas, o primeiro contacto com aqueles adultos que achamos sempre que estão a anos luz de nós (os professores, claro), o reencontro com os colegas, os primeiros rabiscos no caderno, as canetas novas, o cheiro dos livros acabados de abrir. Lembro-me perfeitamente do que sentia nesta altura do ano, como se fosse hoje. E hoje relembro todo este ritual em cada um dos meus alunos. Decidi ser professora no dia em que enfrentei a hipótese de acabar o 12º ano e nunca mais voltar à escola. Nesse dia pensei “Não pode ser, eu não quero deixar a escola… “ E nesse segundo decidi que ia ser professora. E até hoje não me consigo arrepender. O trabalho é precário, as horas são infinitas, os alunos são indisciplinados, mas ensinar é uma paixão. Criar e formar o meu futuro é fascinante. Vê-los crescer comigo , construir as bases daqueles que, um dia, serão grandes em qualquer das tarefas que representem é mágico! Todos os dias me “chateio”, finjo que fico triste, rio, dou beijinhos e miminhos, pisco o olho, faço festas, converso e oiço. Todos os dias me apaixono mais pelo que faço, todos os dias eles me fazem apaixonar mais pela profissão que escolhi. E todos os dias chego a casa cansada mas convencida que tenho a melhor profissão do mundo. Não sou nenhum Cristiano Ronaldo, mas faço fintas inimagináveis e marco os meus golos com passes certeiros e tácticas anciãs. Porque as crianças hão-de ser sempre crianças…

publicado por dory às 12:00
sinto-me:

22
Nov 10

Se me perguntares se ainda penso em ti, a minha boca não me vai denunciar mas, infelizmente, os meus olhos vão. Há uns meses perguntei a alguém se ele era feliz e ele disse-me que ia sendo, porque não existia a felicidade, existiam momentos felizes. Eu contestei, não concordei. Achava que ou éramos ou não éramos felizes. Hoje não posso estar mais de acordo com ele. Ainda penso em ti, ainda tenho saudades. Ainda me lembro, ainda te lembro. Ainda me dói. Acima de tudo, ainda me dói. Tanto que eu tenho a sensação que nunca vai parar de doer. Não sei o que me dói mais, se é o facto de já não te ter, ou o facto de já te ter tido. Mas sei que dói quando penso no quanto achava que éramos felizes e quando constato que, afinal, não podia estar mais errada. E dói não perceber como me pude enganar tanto. Tudo dói. Há uns dias disse a uma amiga que o facto de ainda não estar curada de ti não queria dizer que estivesse infeliz e, por mais estranho que possa parecer, é verdade. Aprendi a estar bem sem ti, incrivelmente. Não estou feliz, porque a felicidade não existe, mas tenho momentos felizes. Mesmo sem ti, tenho momentos felizes.

publicado por dory às 12:21
sinto-me:

12
Nov 10
Hoje, se me dessem a escolher entre uma boa amizade ou um bom namoro, provavelmente eu escolheria uma boa amizade. A razão é simples: nos dias que correm, uma boa amizade tem mais probabilidade de durar para sempre..
publicado por dory às 15:01

Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
23
24
26

28
29
30


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO